Há quatro décadas, reportando de São Paulo para o mundo

FAÇA PARTE DA ACE

A ACE é uma associação sem fins lucrativos criada para dar apoio ao trabalho de jornalistas estrangeiros sediados em Brasil.

Em 2015, reúne 63 associados efetivos, de 23 nacionalidades, que trabalham para a mídia de 21 países de Europa, Asia e América.

Você mora no Brasil e trabalha para a mídia estrangeira? Junte-se a nós!

Como membro da ACE você tem direito a:

– Participação nas nossas entrevistas coletivas, viagens e eventos sociais;
– Carteirinha de imprensa da ACE;
– Acesso completo ao nosso novo website com as ultimas informações;
– Inclusão no nosso mailing, com lançamentos interessantes e nosso Newsletter quinzenal;
– Participação nas assembleias mensais e um voto nas atas e eleições;
– Descontos para atividades culturais.

Valor de anuidade

Correspondentes em São Paulo ……………………. R$ 360

Correspondentes fora de São Paulo ………………. R$ 180

Correspondentes em Rio de Janeiro: contate os nossos colegas de www.acie.org.br

 

Ponte Rio – São Paulo

As Associações de Correspondentes do Rio de Janeiro e de São Paulo formalizaram um acordo de cooperação na forma de participação dos associados em ambas as instituições.

1) Correspondentes estrangeiros devem se associar à associação presente na sua cidade de residência, seja São Paulo ou Rio de Janeiro;

2) Membros associados poderão pagar um valor simbólico de R$ 50,00 (cinquenta reais) por pessoa por ano, para também ter acesso às informações e atividades da associação da outra cidade. Tal como: acesso às informações por e-mail, coletivas organizadas, viagens, cafés da manhã, uso eventual da sede da associação como espaço de trabalho e etc.;

3) O valor simbólico não dará o direito de receber a carteirinha da outra associação;

4) Membros de fora de São Paulo ou Rio de Janeiro (capital) poderão escolher onde se associar com um desconto de 50% no valor da anuidade;

5) Os associados que por ventura estejam associados em uma cidade que não seja a de sua residência deverão fazer a migração a partir de janeiro de 2016;

6) Aqueles que desejarem participar de ambas as instituições poderão fazê-lo através do pagamento integral da anuidade (com direito a carteirinha).

7) Os membros da ACE que têm interesse em se associar no Rio pra o valor simbólico, podem entrar em contato com acie@acie.org.br. Os membros da ACIE podem entrar em contato com tesoureiro@correspondentes.org.br.

Rio de Janeiro/São Paulo, 01 de outubro de 2015.

SUA MENSAGEM





Lembranças de Boa Vista, 150

Quando fui convidado por Carlos Turdera a participar da Associação dos Correspondentes Estrangeiros, não sabia muito bem com o que iria me encontrar. Já tinha feito parte de clubes de carros, ou de times esportivos, mas nunca alguma associação com colegas de profissão. Eu acabava de finalizar meu contrato com o veículo em que trabalhava, e estava à procura de novas experiências no mercado.

A primeira coisa que me chamou a atenção do prédio da rua Boa Vista foi, mesmo, a boa vista. Um terminal de ónibus amarelos que pareciam abelhas; um prédio lúgubre e enorme de muitos andares sem janelas, que parecía ser o ambiente de uma novela de Stephen King; os trolebuses, que desde o 15 andar pareciam brinquedos de criança; e uma ténue música do Rod Stewart que vinha de fora, que sempre era a mesma e passava uma e outra vez.

Falando sobre o escritório, a antiga sede da ACE bem poderia ter sido a inveja de qualquer solteiro que sonhou com um loft. A falta de paredes intermediárias fazia com que o espaço parecesse bem maior. Qualquer Usain Bolt da vida poderia ter treinado no escritório, mas claro, esquivando umas poltronas verdes que estavam sempre num local diferente.

Com todo este ambiente, era impossível não trabalhar bem. Como freelancer, a questão da concentração é muito importante, e disso depende muito fazer um trabalho bom ou um trabalho ruim.

Passaram dirigentes, convidados importantes, uma eleição, assembleias… Tudo isto acho que hierarquizou nossa associação, e também possibilitou que novos colegas se aproximassem.

Porém, uma mistura de crise, junto com falta de palavra, de vontade e planejamento por parte do Governo do Estado de São Paulo, nos deixou sem aquele valioso espaço. Um lugar onde conheci um admirável e muito competente grupo de jornalistas de muitas nacionalidades, que tiveram que deixar o local às pressas como se fossem usurpadores.

Chamo à reflexão aos responsáveis para evitar esses maus tratos. A vida da ACE continuará, talvez num outro escritório, e isto não será mais do que uma má lembrança. Minhas lembranças do antigo escritório da ACE serão boas. Essas resistem qualquer despejo.

 

Por Esteban Nieto
Foto: Katy Sherriff

000